Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 24 de julho de 2012

Ativo e sua mensuração


1) INTRODUÇÃO

Mensurar um ativo é de extrema importância para o desenvolvimento sadio das atividades de uma entidade. É através desta mensuração que melhor avalia-se o desempenho das empresas, pois é deste que provém todo o desenvolvimento da entidade.

A seguir veremos as formas possíveis de se mensurar um ativo, além de conceitos e características para melhor entendermos e aplicarmos os métodos de mensuração, além da distinção do melhor procedimento a ser tomado dentro de cada contexto.

2) DEFINIÇÃO DE ATIVO

Ativo é o conjunto de bens e direitos de uma entidade. Porém, para ser considerado como tal, este deve auxiliar na geração de resultados, ou seja, são os meios através do qual os administradores utilizam para manter a empresa funcionando e produzir os serviços, produtos ou mercadorias concernentes à respectiva atividade empresarial.

D’Auria (apud IUDICIBUS,2004,p.137) explica da seguinte forma:

O ativo é, finalmente, o conjunto de meios ou a matéria posta à disposição do administrador para que este possa operar de modo a conseguir os fins que a entidade entregue à sua direção tem em vista[...].

Outra explicação a respeito do conceito e características de um ativo é a de Iudícibus (2004, p. 137):

A característica fundamental é a sua capacidade de prestar serviços futuros à entidade que os controla individual ou conjuntamente com outros ativos e fatores de produção, capazes de se transformar, direta ou indiretamente, em fluxo líquido de entradas de caixa.

Para termos um melhor entendimento no assunto, vejamos também o que Sprouze e Mooninitz (1962) dizem a respeito:

[...] ativos representam benefícios futuros esperados, direitos que foram adquiridos pela entidade como resultado de alguma transação corrente ou passada.

3) AVALIAÇÃO DE ATIVOS

Como vimos anteriormente, o ativo de uma entidade é de suma importância para esta. Por isso vemos a importância de avaliar, ou seja, dar valor, e mensurar este bem tão precioso.

Segundo Hendriksen e Van Breda (1999; p. 488) mensurar é: “[...] atribuir uma quantidade numérica a uma característica ou a um atributo de algum objeto, como um ativo, ou uma atividade, como a de produção”.

3.1 ) Avaliação e mensuração

Os objetivos fundamentais na mensuração e avaliação de ativos são: sintáticos - destacar o enfoque adotado pela mensuração, de forma que se possa entender melhor sobre o assunto e discorrer as diversas interpretações; semânticos - destacar a forma de interpretação, onde, depois de analisar os diversos “pontos de vista” podemos ressaltar a interpretação mais adequada para cada situação; e pragmático - destacar a utilidade, relevância e efeito da contabilidade, de forma a ponderar os objetivos avaliados anteriormente e aplicá-los.

3.2) Atributos básicos na mensuração de ativos

Para aplicação dos objetivos mencionados anteriormente, deve-se analisar os atributos básicos de uma mensuração de ativos:
·      Objetividade: conforme o significado da palavra, devemos mensurar um ativo de forma que haja ausência de opinião preconcebida, adotando-se procedimentos claros e de fácil compreensão para que não haja subjetividade;

·    Confiabilidade: indicando a veracidade dos atos, verificando-se a aceitabilidade e confiabilidade dos dados;

·      Oportunidade: onde são fornecidos os dados no exato momento em que se precisa dos mesmos; para que a mensuração de um ativo não perca sua utilidade;

·         Precisão: onde se busca informação na medida exata da necessidade dos gestores;

·   Exatidão: transmite-se a realmente aquilo que é necessário para os usuários das informações de tal mensuração de ativo, no tamanho e quantidade exatos;

·         Acurácia: obter-se de informações corretas, sem margem de erro e de forma que não haja malícia nos dados transmitidos.

4)  FORMAS DE AVALIAÇÃO DE ATIVO

4.1)   Valores de entrada

As medidas de entrada representam o volume de dinheiro, ou o valor de alguma outra forma de compensação, pago quando um ativo ou seus serviços ingressam na empresa por meio de uma troca ou conversão.
(Hendriksen; Van Breda, 1999, p. 310).

4.1.1)   Custo histórico

É o mais utilizado no meio contábil, de forma que o registro é feito na data da ocorrência e é utilizado o valor original da transação, ou seja, o preço pago pela empresa para adquirir um determinado ativo.

As principais vantagens deste método são: expressa o valor da aquisição; maior objetividade e verificabilidade; facilita a auditoria; mostra o quanto foi pago pelo bem, ao invés do quanto este vale; expressa a realidade somente próximo a data da aquisição.

As desvantagens são: com o passar do tempo, apresenta avaliação monetária defasada de forma que o custo histórico perde sua substância econômica.

4.1.2)   Custo histórico corrigido

A característica mais expressiva deste procedimento é a constante alteração do custo histórico, de forma a se atualizar os valores tornando-os mais próximos da realidade quanto possível.

Outras características deste método: o valor de aquisição será o mais atual; expões claramente os procedimentos utilizados; informações relevantes próximos a realidade; boas condições de comparação com períodos anteriores; custo de aplicação de correção baixo.

4.1.3)   Custo corrente

Representam o preço de troca atual, onde seria exigido para obter-se o mesmo ativo, ou um equivalente, permitindo a identificação dos ganhos e perdas decorrentes da manutenção do ativo e das mudanças de preço de mercado.

É considerado o método de mensuração de ativos mais completo porque reflete o preço atual, que poderá ser pago no mercado naquele momento. Para fins de estoque, é o custo de aquisição ou produção na data do encerramento do balanço.

4.1.4)   Custo corrente corrigido

Consiste basicamente em aperfeiçoar o valor do custo corrente, onde se faz a atualização do preço corrente de data anterior para data atual com a utilização de índice de inflação da economia.

4.2Valores de saída

[...] são aqueles obtidos nos seguimentos de mercado onde a empresa oferta seus recursos. Em outras palavras, eles representam o benefício que a empresa auferiu (passado), aufere (presente) ou auferirá (futuro) com a realização de seus recursos, ou seja, com disponibilização no mercado.
Martins (2001, p. 95).

4.2.1)   Valor líquido realizável

Conforme Hendriksen e Van Breda (1992) ressaltam, este método de mensuração de ativo é definido como o preço de saída menos o valor corrente de todos os custos e despesas. O valor líquido realizável limita-se a ser aplicado apenas a itens do patrimônio que tenham preços correntes de mercado.

4.2.2Valor de liquidação

Este método deve ser aplicado em situações extremas, geralmente no encerramento das atividades da entidade, onde faz-se necessária a venda de todos os elementos do inventário, provocando desta forma, mudanças nos preços praticados no mercado devido a urgência e a quantidade de bens oferecidos.

4.2.3)   Equivalentes correntes de caixa

Aplicado na venda de ativos intangíveis entre outros com liquidação ordenada, onde não há valor corrente de mercado. Ao utilizar este método, a empresa deveria colocar a venda todos os ativos de forma ordenada, fazendo-o gradativamente, utilizando avaliação de mercado.

Possui como principais características: ativos com preço corrente de aceitação pelo mercado; exclusão dos intangíveis, já que os mesmos geralmente não possuem colocação; venda através de liquidação ordenada.

4.2.4)   Valor presente do fluxo de benefícios futuros

Avalia os ativos pelo que representam de entrada ou saída de numerários de períodos futuros através de taxa adequada de juros e a estimativa de recebimento de valores futuros. Iudícibus (1994, p. 102) descreve o valor atual das entradas futuras de caixa como o valor presente do preço de venda dos ativos.

Principais vantagens do método: verificabilidade; valor do ativo com variação no tempo; continuidade até o fim dos serviços; menos significativo que o custo corrente.

4)  CONCLUSÃO

Uma das maiores dificuldades que os profissionais da contabilidade, assim como seus usuários, enfrentam é a mensuração de ativo. Saber qual a melhor forma de fazê-lo e interpretá-las é sempre um desafio.

Através deste trabalho, pude esclarecer muitas dúvidas de forma a conseguir uma aplicabilidade maior, facilitando a prática e o entendimento deste assunto tão complexo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário